um tempo de nascer e tempo de morrer... Tempo de plantar e Tempo de colher...

 Desde os tempos mais remotos, o respeito dos homens pelos mortos é evidente. Em nossos cemitérios repousam os restos mortais de pessoas, ilustres ou não, que contribuirão de alguma forma para a história da humanidade. São espaços de memória, onde as lápides registram dados importantes: nomes, datas e epitáfios. Os cemitérios carregam valores que estão ligados aos bens materiais e imateriais. Um lugar de paz e tranquilidade para o descanso eterno de quem amamos. A morte pode ser vista de diversas maneiras pelas pessoas, e a Religião é o principal fator que influencia na maneira como as pessoas lidam com a perda de alguém e a finitude da vida. Para o Catolicismo, a vida é uma só e a alma é eterna. Rezamos para que os entes queridos sejam absolvidos e recebidos pelo Criador. CREMAR ou ENTERRAR? Cremar é reduzir às cinzas. Já enterrar é sepultar. Ambos os métodos são muito antigos. O hábito do sepultamento prevalece em países cristãos e a prática da cremação é cada vez mais frequente. O momento da perda é carregado de emoção e, muitas vezes, os familiares ficam confusos sobre como lidar com os trâmites. Sabemos da dificuldade de vender Jazigos, pois ninguém tem desejo de ter um. A nossa cultura é de deixar apenas para quando precisar. O nosso Cemitério Católico está com seus terrenos praticamente esgotados. A Paróquia já tentou aumentar a área, mas não obtivemos autorização. Continuamos nas tratativas. Para manutenção do Cemitério temos solicitado uma anuidade de R$ 30,00, e pedimos que os familiares de nossos entes o façam com assiduidade pois é com está contribuição que mantemos um funcionário e providenciamos os reparos gerais necessário. A Igreja oferece também Jazigos-Nichos junto ao Memorial da Matriz, valor da compra do espaço três salários mínimos. Procure se informar sobre as condições para adquirir esses espaços.